mulher-rio-descanso

Onde eu descanso

E vou seguindo meu caminho, por mais tortuoso que às vezes ele se apresente a mim, respeito. Encaro. Na maioria das vezes sigo a sinalização, verifico as condições do tempo, mas de vez em quando, naquele instante em que dá um frio na barriga, é fechando mesmo os olhos que faço uma prece e escolho[…]

Çeşme_Turquia

Se eu te chamar pra vir comigo

Errado quem pensa que me acostumei a viver só. Não, não é questão de costume. Eu gosto de ser assim. Gosto do meu cantinho do meu jeito, da minha mania de arrumar as coisas, de organizar tudo, dos meus horários. Gosto de não fazer nada e de ter um milhão de coisa pra fazer ao[…]

BEIJO

A força de um beijo

E tudo mudou naquele instante. Tanta espera, tanta coisa imaginada. Como pode algo tão simples ter tanto poder assim sobre duas pessoas? Ele começa antes mesmo de estarmos perto um do outro, quando pensamos, quando imaginamos. Mesmo cada um em seu universo, ele tem a arte de encurtar distâncias. Mesmo antes de existir, ele proporciona a[…]

Ponte Carlos (Karlův Most). Praga, República Tcheca.

Saudade daquele beijo que ainda não demos

Chega de ver o mundo girando tão rápido. Já basta o calendário que avança impiedoso, as horas que voam. Gosto do prazer de esperar, de imaginar como será o depois. O daqui a pouco pode até levar mais tempo, mas que o tempo seja um companheiro das noites em que penso em você. Enquanto muitos romances[…]

(…)

Na pontinha dos dedos…

Pontinhos… Na pontinha dos dedos… De ponta cabeça… Hoje preciso de ajuda dos “pontinhos” para escrever. Eles servem para dar dimensão aos meus pensamentos que apenas as palavras não são mais capazes de fazer. Cada pontinho é um suspiro, uma frase censurada, uma acalmada no coração que teima em bater mais rápido. Estranho como as[…]

Sorria!

Aprendi a não temer

Tantas vezes tentaram me ferir. Em muitas cheguei mesmo a sangrar. E por várias vezes insisti, tentei tapar a ferida e fingir não sentir a dor. Mas ela me consumia. Enquanto escondia a tristeza, procurava, sem sucesso, o orgulho, mas ele havia me abandonado. Ou fui eu mesma que me larguei pelo caminho? Depois de[…]

Tutankhamon – Museu Egípcio. Barcelona/Espanha.

Então deixe ir

Já tivemos essa conversa antes. Ela é repetida. Diversos almoços ouvindo as mesmas lamentações, o roteiro já sei de cor. E sei como ele termina, mas você não se convence disso. Continua insistindo em algo que não vai mudar. Sei que já faz tempo que estamos machucados, e que mesmo velhas, algumas feridas não cicatrizaram.[…]

Dia das maes

Feliz dia que nasci dos meus filhos

  É num de repente que a vida muda. Naquele silêncio ensurdecedor que precede o chorinho mágico que transforma o nosso mundo para sempre. Aquele instante em que a gente se vê em outros olhos, e como eles são lindos! São olhos que brilham a inocência, a pureza de um coração que começou a bater junto do seu,[…]

eu pb

E quando você envelhecer?

Quem nunca ouviu essa pergunta? Já nem me lembro quantas vezes fui questionada. Eu não perco tempo me pensando nisso. Já sei desde que me conheci. Então lá vai a resposta: Quando eu envelhecer você vai ver, ou talvez não. Quando eu envelhecer…eu envelheço todos os dias, mas a cada minuto me torno mais viva, mais[…]

berlim-cidade-1

Palavras também matam

Elas podem ser invisíveis aos olhos, mas se proferidas por um coração amargurado têm efeito devastador. Se rabiscadas num bilhete qualquer carregadas de culpa e desespero, podem ser o ponto final de uma relação ou até mesmo de uma vida. As palavras não são donas de si, não possuem autonomia. Elas precisam de nós para chegarem[…]